para o meu amigo VITORIOGIL-PRESENTE

 
 
 

 

 

 

tradução da musica…

 

Diga olá

(dueto)
W-
Se eu o acho
Se eu simplesmente sigo
Ele me seguraria e nunca me deixaria partir?
Ele me emprestaria seu casaco de lã?
Eu não sei, eu não sei.

M-
Se eu a vejo levantando sozinha
Na estação de trem, três paradas de sua casa.
Eu tenho metade de um pensamento para dizer o que sinto de algum jeito
Mas eu não sei, eu não sei.

B-
Há um avião no céu
Com uma faixa atrás
"Solidão é simplesmente um crime"
Olhe cada um nos olhos
E diga olá
E diga olá

 

poesia de amigo(presente)

Minha
Linda,  Te dedico:

 

Toda mulher gosta de ser
tratada
Com muito carinho
Porque o sabor especial de ser amada
É como um vinho
Uma mulher não quer uma cantada
Prefere um sentimento
Com a pessoa certa e a hora exata
No clima do momento
Uma mulher tem seus desejos loucos mas no fundo
Seu coração só quer as coisas mais simples do mundo
Espera um homem de verdade
Pra mudar de vez a sua vida
Toda mulher sente no beijo o gosto das delícias
De quem souber incendiar seu corpo todo com carícias
Toda mulher sente saudades do amor que fez
Se foi correspondida
Assim me deixa te querer
Que pro seu corpo eu sou prazer
E tenho o amor que você quer
Me diz que sou tua paixão
O dono do teu coração
Que aceita ser minha mulher
Vou te amar de um jeito lindo
Como o orvalho vindo
Pra molhar a flor
Toda mulher já nasce pra morrer de amor

 

Uma otima noite…Anjo
Negro.

 

Beijos…..

para ler e refletir….

Um casal
recém-casados, era muito pobre e vivia de favores num sítio do interior. Um dia
o marido fez uma proposta a esposa!!!

Querida eu vou
sair de casa e vou viajar para bem distante, arrumar um emprego e trabalhar até
que eu tenha condições de volta e dar uma vida mais digna e
confortável.

Não sei quanto
tempo vou ficar fora de casa, só poço uma coisa: Que você me espere, e enquanto
eu estiver fora, seja fiel a mim que eu serei fiel a você.

Assim sendo o
jovem saiu. Andou muitos dias a pé, até que encontrou um fazendeiro que estava
precisando de alguém para ajudar em sua fazenda.

Ele se ofereceu
para trabalhar,e foi aceito. Sendo assim, lhe propôs um pacto ao
patrão:

Patrão eu peço
só uma coisa para o senhor.

Deixe-me
trabalhar aqui o tempo que eu quiser e quando eu achar que devo ir embora o
senhor me dispensa das minhas obrigações.

Não quero
receber meu salário.

Quero que o
senhor coloque na poupança até o dia que eu sair daqui. No dia em que eu sair o
senhor me da o dinheiro e eu sigo o meu caminho.

Tudo combinado,
aquele jovem trabalhou muito, sem férias e sem descanso.

Depois de vinte
anos ele chegou para o patrão e lhe disse:

Patrão eu quero
o meu dinheiro, pois estou voltando para a minha casa.

O patrão então
lhe disse:

Tudo bem, nós
fizemos um pacto e eu vou cumprir, só que antes quero lhe fazer uma proposta.
Curioso ele pergunta, qual a proposta, e o patrão lhe diz:

Eu lhe dou todo
o seu dinheiro e você vai embora ou eu lhe dou três conselhos, e não lhe dou o
dinheiro e você vai embora.

Se eu lhe der o
dinheiro não lhe dou os conselhos e se eu lhe der os conselhos não lhe dou o
dinheiro.

Vai pro seu
quarto, pensa e depois me da a resposta.

O rapaz pensou
dois dias e depois procurou o patrão e lhe disse:

Eu quero os
três conselhos.

Se eu te der os
conselhos não te dou o dinheiro, é isso que quer?

Sim, eu quero
os conselhos.

O patrão então
lhe falou:

1- Nunca tome
atalhos em sua vida, caminhos mais curtos e desconhecidos podem custar sua
vida//

2- Nunca seja
curioso para aquilo que é mal,pois a curiosidade para o mal pode ser
mortal///

3- Nunca tome
decisões em momento de ódio e de dor, pois você pode se arrepender e vai ser
tarde de mais.

Após dar os
três conselhos o patrão disse ao rapaz que já não era mais tão jovem
assim:

Aqui você tem
três pães, esses dois você come durante a viajem e esse aqui você guarda para
comer com sua família quando chegar em casa.

O rapaz seguiu
seu caminho de volta pra casa, depois de vinte anos fora de casa e longe da
esposa que ele tanto amava. Andou durante o primeiro dia e encontrou um viajante
que o cumprimentou e lhe perguntou:

Pra onde você
vai?

Vou para um
lugar muito distante, que por esta estrada vou levar mais de vinte dias de
caminhada.

Rapaz, esse
caminho é muito longo, eu conheço um atalho que é dez vezes menor e você vai
chegar em casa rapidinho.

O rapaz ficou
feliz e começou a seguir pelo atalho, quando lembrou-se do primeiro conselho do
seu patrão:

//NUNCA TOME
ATALHOS EM SUA VIDA, CAMINHOS MAIS CURTOS PODEM CUSTAR A SUA
VIDA///.

Então o rapaz
voltou e seguiu seu caminho, dias depois ele ficou sabendo que aquilo era uma
emboscada.

Depois de
alguns dias de viagem, achou uma pensão da beira da estrada onde pode
hospedar-se. De madrugada acordou assustado com um grito estarrecedor e muito
barulho, curioso levantou-se e dirigiu-se a porta para sair. Quando lembrou do
segundo conselho:

///NUNCA SEJA
CURIOSO PARA AQUILO QUE É MAL, POIS A CURIOSIDADE PARA O MAL PODE SER
MORTAL///.

Então o rapaz
voltou-se a dormir.

Ao amanhecer,
após tomar seu café da manhã, o dono da pensão lhe perguntou se não havia
escutado gritos, e ele disse sim.

Então porque
não quis ver o que era, não ficou curioso?

Então o rapaz
disse, não, por que?

Então o dono da
pensão falou: Que bom, pois você é o único que está saindo daqui vivo, pois
tinha um louco aqui essa noite, ele gritava para chamar atenção dos hóspedes e
quando os hóspedes saíam ele matava.

O rapaz seguiu
seu caminhos e depois de muitos dias e noites em sua caminhada, já ao
entardecer, viu entre árvores a fumaça da sua casinha, andou e logo viu em
arbustos a silhueta da sua esposa.

O dia estava
escurecendo, mas ele pode ver que sua esposa não estava só.

Andou mais um
pouco e viu que ela tinha sentado no colo de um homem, a quem estava acariciando
os cabelos.

Ao ver aquela
cena seu coração se encheu de ódio e amargura e ele decidiu matar os dois sem
piedade.

Apressou os
passos, quando se lembrou do terceiro concelho.

///NUNCA TOME
DECISÕES EM MOMENTO DE ÓDIO OU DE DOR, POIS VOCÊ PODE SE ARREPENDER E VAI SER
TARDE DEMAIS///.

Então, ele
parou, refletiu e decidiu dormir por ali mesmo. Ao amanhecer, já com a cabeça
mais fria ele pensou:

Não vou matar
minha esposa nem o seu amante, vou voltar no meu patrão e pedir que ele me
aceite de volta, mas antes vou até minha casa, olhar nos olhos de minha esposa e
dizer a ela que nesses vinte anos que fiquei fora de casa fui fiel a
ela.

Dirigiu-se a
casa e bateu à porta.

Ao abrir a
porta a esposa reconheceu seu marido e pulou em seu colo, o abraçou, ele tentou
afastá-la mas não conseguiu, pois a mulher estava muito feliz em ver que seu
marido havia voltado.

Então com
lágimas o marido disse a mulher: Eu fui fiel a você e você me
traiu.

A mulher
espantada disse: Como?. Eu nunca lhe traí, eu o esperei durante esses vinte
anos.

E aquele homem
que você estava acariciando ontem a tarde?

Aquele homem é
nosso filho, quando você foi embora eu descobri que estava grávida e hoje ele
está com vinte anos de idade.

Então ele
conheceu e abraçou seu filho, contou-lhes toda a sua história enquanto sua
esposa preparava o café, e sentaram-se para tomar o café e comer o último
pão.

Após a oração
de agradecimento e lágrimas de emoção, ele parte o pão, e ao parti-lo, ali
estava todo o seu dinheiro.